Vai viajar? O que você precisa saber sobre as bagagens

Vai viajar O que voce precisa saber sobre as bagagens

Vai viajar? O que você precisa saber sobre as bagagens

O que é franquia de bagagem?

Não custa relembrar, não é mesmo? Quando falamos em “franquia de bagagem”, estamos nos referindo à quantidade de peso e/ou número de volumes que o passageiro pode carregar a bordo na aeronave, seja na bagagem de mão ou nos pertences que são despachados e encaminhados ao porão do avião. A franquia é um dado fundamental que deve ser considerado por todos os passageiros para evitar imprevistos e assegurar uma viagem tranquila. Quando adquirir as passagens, fique atento ao regulamento estabelecido por sua companhia aérea: as dimensões das bagagens e outros fatores variam de empresa para empresa.

 

Bagagem de mão

A bagagem de mão, como o próprio nome já infere, é aquela que pode ser levada junto ao passageiro durante a viagem “ é a mala, mochila ou bolsa contendo pertences pessoais e itens de valor, tais como aparelhos eletrônicos, dinheiro e remédios.

 

Antes das mudanças da ANAC, podiam ser levados uma bagagem pequena de até 5kg mais um volume de mão (bolsa, mochila ou sacola). Agora, com as novas regras, é permitido levar até 10kg de bagagem de mão, sem custos adicionais. Se a sua mala de mão atender a todos os regulamentos do contrato mas, por algum motivo, precisar ser despachada, a companhia deverá fazê-lo sem custos.

 

Com as novas medidas da Agência Nacional de Aviação Civil, o peso da bagagem de mão ficou unificado, mas as dimensões e o volume dos pertences levados estão a cargo das companhias. Para voos nacionais, cheque as regras definidas por cada empresa.

 

Nos voos internacionais, além das medidas/dimensões das malas de mão, o peso também fica a critério das companhias aéreas. Normalmente, o volume permitido é de uma bagagem de mão acrescida de item pessoal. Este limite, no entanto, pode aumentar para dois volumes no caso de clientes Premium.

 

Como as regras variam de empresa para empresa, é fundamental consultar as normas da sua companhia para evitar transtornos. Abaixo, listamos o regulamento das principais viações:

 

O que posso e não posso levar na bagagem de mão?

Antes de tudo, lembre-se de que o recomendado é levar os itens frágeis ou de valor nessa bagagem, que estará com você ao longo do trajeto. Assim, dinheiro, documentos, chaves, remédios e eletrônicos são alguns dos objetos que podem e devem ser transportados na bagagem de mão. Vale lembrar que os itens levados devem sempre estar bem acondicionados, de forma a não interferir no conforto e na integridade física dos demais passageiros da aeronave.

 

Como já apontamos, eletrônicos tais como notebooks, tablets e celulares podem ser levados, respeitadas as regras de dimensão e peso especificadas acima. As baterias de lítio e/ou pilhas desses equipamentos também podem integrar a bagagem (mas devem ser observados os limites de 100 Wh para as baterias e 20 Wh para as pilhas). Líquidos e/ou géis, por sua vez, podem ser transportados na quantidade máxima de 1,2kg ou 1,2 litro. Cada recipiente com as substâncias deve pesar até 300g ou ter capacidade de até 300ml.

 

Nos voos internacionais, o transporte de líquidos na mala de mão tem regras específicas: eles devem ser armazenados em embalagens de no máximo 100ml. O limite total permitido é de 1 litro (ou 10 frascos de 100ml). Na hora de fazer a mala, certifique-se de guardar esses recipientes em embalagem de plástico transparente: isto facilita a inspeção no aeroporto antes do embarque. Perfumes e bebidas alcoólicas também podem ser levados na bagagem de mão, assim como medicamentos com prescrição médica.

 

Por fim, vale lembrar que a segurança dos itens de mão a bordo são de responsabilidade do passageiro “ em geral, as companhias aéreas não assumem as perdas ou danos causados aos artigos ao longo da viagem.

 

Não podem ser levados:

Armas e objetos cortantes e pontiagudos, tais como estiletes, canivetes e tesouras;

 

Substâncias inflamáveis, tóxicas e/ou químicas (desodorantes aerossóis, por exemplo, ficam barrados. Já perfumes e bebidas alcoólicas, como mencionamos, são produtos inflamáveis mas permitidos);

 

Ferramentas de trabalho (tais como furadeiras, chaves de fenda, martelos e marretas. Esses itens devem ser despachados).

 

Tudo sobre bagagem despachada

Agora que conferimos as principais regras a respeito da mala de mão, vamos partir para o outro tipo de bagagem (que também gera muitas dúvidas antes do embarque): a despachada. Esta bagagem consiste nas malas maiores do passageiro, que são transportadas no porão ou bagageiro do avião. Essas malas são entregues durante o check-in no aeroporto e devolvidas no momento do desembarque.

 

O novo regulamento da ANAC prevê que as normas da bagagem despachada sejam definidas pelas companhias aéreas e suas próprias estratégias comerciais. O peso dos itens e o preço cobrado pelo despacho, portanto, fica a cargo de cada empresa. Diante desse cenário, algumas das companhias criaram uma diferenciação de tarifas, na qual as passagens incluem ou não o preço final das bagagens despachadas.

 

O que posso e não posso levar na bagagem despachada?

Em primeiro lugar, é importante reforçar que não é aconselhável despachar objetos valiosos tais como eletrônicos, joias, títulos financeiros, dinheiro, chaves e documentos. Leve esses itens na bagagem de mão!

 

Se o passageiro transportar uma bagagem despachada sujeita a danos ou de grande dimensão (como bicicleta, esquis, instrumentos musicais e pranchas de surf), ele deve sinalizar o equipamento à companhia aérea antes do voo, efetuando o pagamento de taxa adicional. Alguns itens, como botijão de gás propano ou butano, lanternas a gás, extintores de incêndio e fogos de artifício, além de alimentos em determinadas condições (como veremos a seguir), não podem ser despachados.

 

Os limites de peso, volume e dimensões definidos pela companhia devem ser sempre pesquisados e respeitados pelo passageiro. A média geral, como vimos acima, é de 23kg para voos domésticos e 32kg para trechos internacionais, com a cobrança de taxa para excesso de peso ou despacho de mais volumes.

 

Caso haja voos de conexão, onde buscar minha bagagem despachada?

Esta é uma dúvida que aflige muitos passageiros nas situações em que o trajeto inclui voos de conexão. Em geral, deve-se recolher a bagagem despachada apenas no destino final. Há casos em que se retira a mala na conexão para depois despachá-la novamente. Não há regra fixa: no momento do check-in, a companhia aérea deve informar ao passageiro o local de retirada da bagagem.

 

Nos voos com chegada ao Brasil, o mais comum é retirar a mala no primeiro aeroporto do percurso, devido à fiscalização da alfândega.

 

Minha conexão no exterior é muito longa! Se eu sair do aeroporto e fizer algumas compras, posso despachar mais bagagem?

Infelizmente não! Nesses casos, é preciso tomar o cuidado de adquirir somente produtos que podem ser incluídos na bagagem de mão (nada de exageros!). Vale um alerta: procure não perder a hora durante a conexão e evitar o desagradável imprevisto de acabar perdendo também o voo!

 

Alimentos a bordo: posso levar?

Em voos nacionais, alimentos em geral e produtos perecíveis podem ser transportados sem problemas na bagagem de mão. Mas atenção: eles precisam estar embalados e a embalagem ser à prova de vazamentos. No caso de frutos do mar, a embalagem do alimento deve estar inserida em caixas de isopor revestidas por plástico.

 

Se o passageiro estiver viajando com crianças de até dois anos, pagando 10% da tarifa, pode ser levada alimentação infantil para consumo durante o trajeto, além de cesta ou carrinho de bebê (estes itens também podem ser despachados).

 

As regras para transporte de alimentos são muito variadas em voos internacionais, dependendo de fatores como destino, companhia e a quantidade do alimento levado.

 

Alguns países, como Austrália e EUA, por exemplo, proíbem a entrada de alimentos frescos no seu território. Na União Europeia, fica vetado o ingresso de alimentos, carne, leite e itens de origem animal provenientes de países que não participam da Comunidade Europeia. Por esse motivo, caso você planeje transportar itens alimentícios em trechos internacionais, é importante verificar a regulamentação da nação de destino e também dos países de trânsito, se houver conexões. Em geral, os alimentos que podem ser transportados nessas condições devem estar na embalagem original do fabricante e com a data do vencimento assinalada. Fique atento!