Sócio da AOPP, 2º Sargento PM recebe Medalha “Cruz de Sangue”

Sócio da AOPP, 2º Sargento PM recebe Medalha “Cruz de Sangue”

Quem não se lembra do 2º Sargento PM, Djalma da Silva Júnior, que foi alvejado com um tiro de fuzil na cabeça enquanto atendia uma ocorrência de roubo em Arujá. O fato aconteceu em julho de 2013.  Internado no Hospital Santa Marcelina de Itaquera, ele permaneceu 11 dias em coma e, segundo sua esposa Patrícia, “acordou na data que dariam morte cerebral”. Na época, com diagnóstico de perda da visão e de locomoção, o policial militar, que é sócio da AOPP, teve uma melhora surpreendente, e foi um dos homenageados na manhã do dia 19 de dezembro com a entrega da Medalha “Cruz de Sangue”, na Praça Fernando Prestes, de frente ao Quartel do Comando Geral da Polícia Militar de São Paulo.

 

A honraria foi instituída no decreto N. 42.953, de 20 de março de 1998, e visa homenagear os  Policiais Militares feridos em combate e os familiares de PMs mortos em serviço.

 

“A importância desta homenagem é saber que tive o meu dever cumprido. Combati o bom combate e estou sendo reconhecido”, comentou o Sargento, que tem o projétil do fuzil alojado na sua cabeça, e que não poderá retirá-lo. Ele foi condecorado pelo Comandante Geral, Coronel PM Marcelo Vieira Salles.

 

O Sargento Djalma ingressou na Polícia Militar em Janeiro de 1994, e quatro anos depois, foi promovido a Cabo. Ele trabalhou no 3º Batalhão de Choque, somando esforços no Canil. Em 2009, veio para a Polícia Ambiental de Mogi, onde fez diversos cursos. Em 2012, foi promovido a Sargento, e prosseguiu a sua carreira na 3ª Cia do 31º BPM/M em Arujá.

 

Ao lado dele, outro homenageado que emocionou a todos, inclusive o próprio Comandante Geral, foi o Sargento Wesley Carlos Turíbio. Assim como Djalma, ele também atendia uma ocorrência de roubo, e foi atingido na cabeça com um tiro de fuzil e outro de pistola .40. O caso aconteceu em janeiro de 2015.