“O Policial Militar é a razão da nossa Instituição”

Coronel Marcelo Vieira Salles - Foto: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDO

“O Policial Militar é a razão da nossa Instituição”

A frase é do Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Coronel Marcelo Vieira Salles, em seu discurso de posse no ano passado. Humilde e agregador, uma das principais características e compromissos da sua gestão é a valorização do policial militar

 

“Um líder é alguém que conhece o caminho, corre ao longo do caminho e mostra o caminho”. Esta frase do escritor americano, John C. Maxwell, define exatamente o perfil do Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Coronel Marcelo Vieira Salles.

 

À frente do Comando Geral desde maio do ano passado, o oficial mostra o seu espírito agregador marcando presença no lançamento de operações policiais junto às suas tropas, visitando as unidades militares e, principalmente, cumprimentando cada policial militar como um ato de respeito e gratidão pela sua prestação de serviços à Segurança Pública. “O Policial Militar é a razão da nossa Instituição”, disse ele no seu discurso de posse.

Esta frase é constante no seu cotidiano militar. Aliás, na sua vida. Filho do Subtenente da Reserva da Policia Militar Nelson de Almeida Salles e de dona Izabel Maria Vieira Salles, o seu amor pela carreira militar aliado à humildade e ao espírito agregador, tornou-se notório no seu convívio com os colegas na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, onde ingressou como Aluno-Oficial aos 17 anos de idade, no dia 04 de fevereiro de 1985. A data também marca a entrada do seu pai – considerado o referencial de sua carreira – para a Reserva da Polícia Militar.

 

AO LADO DO POLICIAL MILITAR
O amor e reverência do Coronel Salles ao seu compromisso com a Segurança Pública, e em especial aos policiais militares, se refletem nas diretrizes do seu trabalho no Comando Geral. Bacharel em Direito e especializado em tropa montada e controle de distúrbios civis, o Coronel Salles conhece muito bem a dura realidade do policial militar.

 

Já foi às ruas para somar esforços com sua tropa do Comando de Policiamento de Área Metropolitano 5 (CPA/M-5), zona oeste de São Paulo, num feriado de Carnaval. Como alguns policiais de folga estavam trabalhando pela necessidade do serviço, o então Comandante não pensou duas vezes: logo pegou seu colete refletivo e capacete para trabalhar junto com as equipes no policiamento nas ruas.

 

Outro exemplo de interação com os seus comandados aconteceu após o lançamento da Operação “São Paulo Mais Seguro” onde ele visitou os pontos de policiamento para cumprimentar e conversar com cada policial militar. Fato este que, segundo o Comandante, surpreendeu positivamente alguns policiais.

 

A linha de trabalho do Comandante Salles também abrange outros itens na questão da valorização do policial militar: a redução da letalidade policial, cujo mérito ele conseguiu durante a sua gestão no CPA/M-5.

 

A sua dedicação e preocupação com o bem-estar do policial militar e de sua família foi um dos assuntos comentados durante a reunião com o Presidente da Associação dos Oficiais, Praças e Pensionistas da Polícia Militar do Estado de São Paulo (AOPP), Aristides Florindo de Faria Filho, no dia 03 de janeiro deste ano, na Sede do Comando Geral, em São Paulo.

 

No encontro, o Presidente da AOPP falou sobre o trabalho da associação desenvolvido ao longo de 9 anos em prol da categoria policial militar, e o sucesso nas ações coletivas como a da URV, parcerias com diversos segmentos na saúde, educação, lazer e outros. Por sua vez, o Comandante Geral não só agradeceu a visita como também elogiou o trabalho da associação, e se colocou à disposição para somar esforços.

 

Também participaram do encontro o Diretor Tesoureiro-Geral, Josenei Santos Gonçalves, o Representante Comercial, Marcelo Morente e o Diretor do Conselho Fiscal, Vitor Fernandes.

 

Nos processos operacionais, a aproximação do Comandante de Polícia à população de sua área de responsabilidade territorial, é um dos destaques do programa do Coronel que faz jus aos princípios do policiamento comunitário.

 

OPERAÇÕES POLICIAIS
Outra meta do programa do Comando Geral é reduzir os indicadores criminais por meio de operações policiais que vem sendo realizadas em dias, horários e locais aleatórios como as “Servir e Proteger”, “Rodovia Mais Segura” e “São Paulo Mais Seguro”. Essas ações aumentam a presença ostensiva para melhorar a percepção de segurança das pessoas e inibe a prática de crimes.

 

Realizadas desde o dia 2 de janeiro, as três operações “São Paulo Mais Seguro” e duas edições da “Rodovia Mais Segura”, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, resultaram na detenção de 784 pessoas e recaptura de 485 procurados da Justiça.

 

Segundo o balanço divulgado pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo no dia 31 de janeiro, foram realizadas 271.960 abordagens, além da apreensão de 258,8 quilos de drogas e 104 armas ilegais. Mais de 149,3 mil veículos foram vistoriados e 321 motoristas autuados por consumo de álcool. A PM também recuperou 305 veículos produtos de roubo ou furto.

 

Nas cinco operações, houve uma média de 10 aeronaves e 7.025 viaturas empregadas nas ações. Foram realizadas ações em 13.735 pontos estratégicos, apontados pelo serviço de inteligência da PM, para combater o crime. Também houve reforço do policiamento em terminais de ônibus e aeroportos.

 

“Essas operações não vão acabar. Vão acontecer durante todo o ano e fazem parte de um programa de Governo. É algo que veio com toda a força e para ficar. O objetivo é combater a criminalidade e aumentar a sensação de segurança”, comentou o Coronel Salles.

 

CRUZ AZUL
Nascido no Hospital Cruz Azul de São Paulo no dia 23 de março de 1967, o Coronel Salles defende a importância de se valorizar os serviços prestados pela unidade desde 1925 aos policiais militares e seus familiares.

 

“Em todos esses anos pude testemunhar a preocupação e o zelo com que a Cruz Azul procura tratar o policial militar e a sua família. Reflexo disso é a busca constante e permanente por melhorias na prestação de serviços de elevada qualidade e alta complexidade no hospital, nos ambulatórios, na maternidade e no laboratório. Todo esse patrimônio foi erguido com o empenho e sacrifício dos policiais militares que nos antecederam nesta jornada, devendo ser cuidado com muita responsabilidade e sabedoria.

 

Neste aspecto, a Cruz Azul se destaca pelo profissionalismo e pelo compromisso com a memória de nossos antepassados, mas também mantendo os olhares no presente e no futuro. A nossa Cruz Azul sempre se superou, pois da mesma forma com que cuida da saúde da nossa família também se empenha na área da educação, com 12 unidades do Colégio da Polícia Militar que, utilizando sistema de vanguarda, educa e transmite valores para viabilizar um futuro promissor e de sucesso ao jovem cidadão.

 

A base de sustentação é formada pelo respeito ao próximo, a disciplina e a dedicação. Nossos filhos encontram nos colégios PM uma educação de qualidade e com preços acessíveis, o que garante tranquilidade financeira aos policiais militares e a certeza de que estão nas mãos de profissionais que compartilham dos mesmos valores que os nossos”, concluiu.

PREVIDÊNCIA
Em vídeo divulgado nas redes sociais, o Coronel Salles comentou a reforma da Previdência Social para policiais militares da ativa e da reserva, e defendeu os direitos da categoria. “O posicionamento do Comando Geral é pela manutenção dos 30 anos, a integralidade e a paridade dos vencimentos tanto como na ativa como na reserva porque a nossa profissão é diferente.

 

O constituinte de 88, quando decidiu separar as carreiras em especial a dos militares, idealizou numa profissão, num profissional com dedicação exclusiva e nós somos assim. Nós só podemos selecionar. Nós não podemos ser sócios de nenhuma empresa, nós não podemos exercer nenhum tipo de outra função que não seja o magistério. Muito justo, nós não podemos nos sindicalizar e nem fazer greve também. Quando nós entramos no quadro da Polícia Militar, nós juramos perante a Bandeira do Brasil, defender a Pátria com o sacrifício da própria vida e fazemos assim.

 

No ano passado, em 2018, mais de 60 policiais militares morreram em serviço ou em razão da função. Esse é um dado muito preocupante! Falar que somos iguais dos 34 direitos sociais e trabalhistas previstos no artigo 7º da Constituição Federal, nós somos titulares somente de seis: o 13º salário, o salário-família, férias anuais, licença-gestante, licença paternidade, assistência em creche e escola. Os demais, não temos adicional noturno, não temos Fundo de Garantia e outros direitos que o cidadão normal tem”, finalizou.

 

Perfil do Comandante Geral, Coronel PM Marcelo Vieira Salles

Nascido na Cruz Azul de São Paulo, aos 23 de março de 1967.
Filho do Subtenente da Policia Militar Nelson de Almeida Salles e Izabel Maria Vieira Salles.

 

Casado com a Senhora Marcia de Agostini Salles e pai do jovem João Lucas.
Ingressou na Polícia Militar do Estado de São Paulo aos 17 anos em 04 de fevereiro de 1985 como Aluno-Oficial na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, sendo declarado a Aspirante a oficial em 15 de dezembro de 1989.

 

Curso de Especialização em Tropa Montada -1990
Curso de Controle de Distúrbios Civis para Oficiais- 1991
Curso de Técnicas de Ensino – 1998
Mestre e Doutor em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pelo Centro de Altos Estudos de Segurança da Polícia Militar
Curso de Instrutor de Equitação pela Escola de Equitação do Exército – Rio de Janeiro – 1993
Bacharel em Direito pela UNICSUL – São Paulo – 2005
Especialização em Política e Estratégia pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-SP) – 2007
Curso de Gestão de Recursos de Defesa (CGERD) pela Escola Superior de Guerra (ESG – Rio de Janeiro) – 2012
Chefe de Gabinete da Casa Militar e Coordenador Estadual de Defesa Civil Adjunto
Comandante do Regimento e Polícia Montada – 9 de julho
Comandante de Policiamento de Área Metropolitana Cinco
Possui 35 (trinta e cinco condecorações) dentre as quais se destacam a Medalha “Brigadeiro Tobias”, a mais alta condecoração da Polícia Militar; a Medalha Valor Militar em grau Ouro por mais de 30 anos de bons serviços prestados na Polícia Militar do Estado de São Paulo e a Láurea do Mérito Pessoal em 1º Grau.

 

Confira a reportagem nas páginas 12 a 15 da edição impressa da Revista AOPP.