Escola Superior de Sargentos: excelência na formação de Policiais Militares do Estado de São Paulo

Comandante Cel PM Temistocles Telmo Ferreira Araújo - Foto: AOPP

Escola Superior de Sargentos: excelência na formação de Policiais Militares do Estado de São Paulo

Comandante Telmo, o que representa para o senhor e sua carreira estar no comando da Escola Superior de Sargentos?

“A resposta não é tão simples já que em 2019 quando fui designado pelo Comando da Instituição para ser o Comandante da Escola, não cheguei a ser consultado, apenas fui anunciado, então naquele momento misturaram-se os sentimentos de dúvidas e incertezas do que representaria, já que sempre tive em mente o pensamento de Sêneca: ‘A educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda a vida’.

Às vésperas de completar 1 ano no comando da Escola (26/08), afianço que representa um Sacerdócio. Temos a missão de realizar os sonhos dos profissionais que almejam crescer na carreira. Formamos e aperfeiçoamos o Sargento paulista.

Completei 34 anos na PMESP e sou o 59º Comandante da Escola Superior de Sargentos, e posso dizer que minha carreira ficou ainda mais completa. Sempre atuei na atividade operacional, seja no policiamento territorial, seja no policiamento rodoviário, mas nunca tinha atuado na área de ensino, até mesmo como professor foram poucas as oportunidades, e hoje ser Comandante da ESSgt é se sentir realizado.

Tenho uma equipe de profissionais dedicados o que torna minha missão mais exitosa, pois como digo a eles, tudo que aqui é feito é para acertar. Pode até não dar certo sempre, mas não faltam compromisso e a dedicação. ‘Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina – Cora Coralina’.”

Com a relevante missão de promover com excelência a gestão de ensino, a Escola Superior de Sargentos, por meio de conhecimentos científicos e tecnológicos, humanísticos e gerais, indispensáveis à educação e à capacitação do policial militar, tem o objetivo torná-lo apto a atuar como operador do sistema de segurança pública em conformidade com a filosofia de polícia comunitária e de direitos humanos. Sendo a responsável pela formação e aprimoramento do Sargento da Polícia Militar.

A formação, graduação, pós-graduação, aperfeiçoamento, habilitação e treinamento dos policiais militares na Polícia Militar do Estado de São Paulo são realizados por intermédio dos Órgãos de Apoio de Ensino Superior subordinados à Diretoria de Ensino e Cultura da Polícia Militar.

São seis Escolas que compõe o sistema de Ensino da PMESP: Academia de Polícia Militar do Barro Branco, Escola Superior de Sargentos, Escola Superior de Soldados, Centro de Altos Estudos de Segurança, Escola Superior de Bombeiros e Escola de Educação Física.

A ESSgt tem como sua responsabilidade o Curso de Formação de Sargentos, Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos, Curso de Técnica de Ensino para praças e Estágio de Aperfeiçoamento Profissional dos Sargentos e Sub Ten PM da área de ensino da PMESP.

Para tanto, possuem 32 salas de aula, 2 laboratórios de informática e um auditório com capacidade para 100 pessoas, todas as salas de aula possuem equipamentos de multimídia modernos que possibilitam teleconferências, o que permite a ESSgt formar presencialmente 1.000 alunos e um igual número à distância.

 

Assim, são formados cada vez mais profissionais compromissados com a justiça, a verdade e o bem servir à sociedade.

 

 

Um pouco da história da ESSgt

Hoje, com 84 anos de fundação completados este ano, a Escola Superior de Sargentos remonta sua origem no 2º Batalhão de Caçadores (2º BC) – mais tarde denominado afetuosamente como “2 de Ouro” – um dos mais tradicionais e gloriosos batalhões da então Força Pública, atual Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em 1º de setembro de 1936, o então 2º BC deu origem ao Batalhão de Guardas (BG), que era composto por cinco Companhias, sendo três de Fuzileiros, uma de Metralhadoras e uma Companhia de Empregados (Apoio Administrativo).

Em 1970, por força da Lei de 28 de agosto do mesmo ano, o Batalhão de Guardas passou a denominar-se Escola de Formação e Aperfeiçoamento (EFA), integrando-se aos estabelecimentos de ensino da instituição, juntamente com a Academia da Polícia Militar (APM) e a Escola de Educação Física (EEF). A partir de então, a EFA passou a destinar-se à Formação e Aperfeiçoamento de Praças, missão que até aquele momento cabia ao Curso de Formação Aperfeiçoamento (CFA), cuja formação abrangia tanto os Oficiais, quanto as Praças.

 

No ano 1974, o nome da Escola de Formação e Aperfeiçoamento foi alterado para Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), permanecendo até outubro de 2009, quando passou a denominar-se ESCOLA SUPERIOR DE SARGENTOS (ESSgt), reafirmando sua tradição, como Unidade de Ensino, na formação e aperfeiçoamento do Sargento da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

 

Visita do Comandante geral Wilson Corrêa Leite na ESSgt – Registro de arquivo
Visita do Comandante geral Wilson Corrêa Leite na ESSgt – Registro de arquivo

 

Cursos e formação

Com duração de 1.617 horas/aula, o Curso de Formação de Sargentos (CFS) tem duração de 36 semanas letivas de forma sequencial e consecutiva, dividida em 3 ciclos com 12 semanas letivas. O primeiro ciclo é realizado pelo método de Ensino à Distância (EAD) e os ciclos 2 e 3 são presenciais.

O Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS) com duração de 232 horas/aula tem duração de 3 meses letivos, todas na modalidade de Ensino a Distância (EAD). O Curso de Técnicas de Ensino (CTE) tem duração de 3 semanas presenciais.

 

A Escola Superior de Sargentos possui aproximadamente 2000 alunos entre as modalidades de Ensino a Distância – EaDPM e Presencial, cabendo mencionar que, além da formação e aperfeiçoamento do sargento, também é responsável pelo Curso de Técnica de Ensino, destinada às Praças da PMESP e desde o 2° semestre de 2019 passou a formar Soldado PM 2° Classe, no módulo básico.

 

Alunos em formação na prática de treinamento tático - Arquivo ESSgt
Alunos em formação na prática de treinamento tático – Arquivo ESSgt

 

No CFS o ensino se dá por meio da progressividade na construção do conhecimento englobando:

I – Disciplinas teóricas;

II- Atividades de treinamento de campo, que englobam as disciplinas práticas, inclusive de forma prática em outras Unidades;

III – Atividades complementares, dentre elas a elaboração de trabalhos científicos.

O CAS busca dotar o 2º Sargento PM de novos conhecimentos de nível gerencial e administrativo, além de aprimorar os conhecimentos, habilidades e atitudes desejadas pela instituição necessária para o desempenho de funções de escalão superior.

O CTE procura capacitar o Praça PM (Soldados, Cabos, Sargentos e Subtenentes) para o exercício da docência em cursos, estágios, treinamentos e atividades de ensino da Instituição, conforme previsto no Sistema de Ensino da Polícia Militar.

No curso de Formação as atividades desenvolvidas estão divididas por áreas de ensino destinadas à transmissão de conhecimentos cognitivos, à aquisição de habilidades e à mudança comportamental, promovendo a habilitação técnica, humana e conceitual para o exercício das funções inerentes ao primeiro nível de comandamento de tropa.

Destacam-se as matérias jurídicas, técnicas policiais (incluindo Técnicas de Menor Potencial Ofensivo), educação institucional, serviço policial, matérias administrativas e humanas.

Existem as Atividades de Treinamento de Campo, que englobam estágios operacionais e as Atividades Complementares de Ensino, onde desenvolve-se, dentre outras competências, a elaboração de trabalho científico.

No CAS as disciplinas estão divididas nos campos administrativo, jurídico e Profissional, além das avaliações e demais atividades escolares, totalizando 223 horas/aula.

O CTE possui carga horária de 114 horas/aula nas áreas de Comunicação, Didática, Ética Profissional e demais atividades escolares.

 

Tropa em treinamento de técnicas não letais - Arquivo ESSgt
Tropa em treinamento de técnicas não letais – Arquivo ESSgt

 

O Corpo Docente

Os professores e orientadores do CFS é formado por militares e civis.

Os docentes militares pertencem às áreas operacionais, especializadas bem como das áreas jurídicas, de recursos humanos, logística, telecomunicação e de inteligência.

Os docentes civis são profissionais com formação em Letras e Ciências Jurídicas, tais como professores de Língua Portuguesa, Juízes de Direito e Promotores de Justiça.

O Corpo Docente do CAS é formado por Tutores que possuem treinamento especial para auxiliar ao Sargentos no ensino à distância. Tal especialização deve ser comprovada pela apresentação de comprovante de conclusão de curso da área de tutoria.

O CTE tem professores formados na área de educação e psicologia, a fim de transmitirem conhecimento e experiência na área de docência.

 

Ensino Superior

Nos termos da Lei Complementar n° 1.036, de 11 de janeiro de 2008, regulamentada pelo Decreto Estadual n° 54.911, de 14 de outubro de 2009, o Curso de Formação de Sargentos passou a denominar-se Curso Superior de Tecnólogo de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública I, por sua vez o Curso de Aperfeiçoamento passou a denominar-se Curso Superior de Tecnólogo de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública II.

O primeiro é destinado a qualificar profissionalmente o cabo e o soldado de 1ª Classe com mais de 5 anos de serviço ao exercício das funções de 3° sargento PM, já o segundo curso é destinado a qualificar o 2° sargento PM ao exercício das funções de 1° sargento e subtenente PM.

Promovendo em ambos os casos a habilitação técnica, humana e conceitual para o exercício consciente, responsável e criativo das funções de liderança, gestão e assessoramento, nos limites de suas atribuições hierárquicas, dotando-os de capacidade de análise de questões atuais que envolvam o comando na execução das atividades de Polícia Ostensiva, de Preservação da Ordem Pública, em conformidade com a filosofia da Polícia Comunitária.

 

Com a palavra, quem ensina.

O prazer em trabalhar e ministrar aulas nos Cursos de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos e, recentemente, aos alunos do Curso de Formação de Soldados é enorme. Ser professor nessa Escola não é apenas ensinar, é muito mais que isso, é transformar, restabelecer o profissional emocionalmente, mudar atitudes e mudar conceitos preexistentes. Isso tudo é muito mais que um simples trabalho de ensinar – é uma missão.

Subtenente PM Hebert Cavalcante Costa – Auxiliar da Seção Correcional de Polícia Judiciária Militar e Disciplina e professor na ESSgt.

 

A missão não consiste apenas em ensinar as técnicas e táticas de tiro, mas principalmente em fomentar no futuro Comandante de fração de tropa o sentimento de dever no sentido de preparar seus subordinados e capacitá-los para exercer suas funções com técnica, procedimentos e profissionalismo, atributos que permitirão ao Policial Militar encerrar seu turno de serviço livre de condenações, fisicamente íntegro e, principalmente, com vida.

1º Ten PM André de Moraes Wingerter – Seção de Pesquisa Planejamento e Desenvolvimento do Ensino da ESSgt e Professor de Tiro Defensivo na Preservação da Vida – Método Giraldi.

 

“Companheiros! Sigamos marchando, Ao compasso de um só coração, A este povo paulista mostrando, A grandeza de seu Batalhão! (…)” – Trecho da canção da Escola Superior de Sargentos, cantado no desfile matinal.

 

Qual o papel do sargento dentro da tropa?

O Sargento desenvolve missão importantíssima, pois, dentre suas funções, está a de primeiro comandamento, ou seja, o Sargento é quem está mais próximo da tropa durante a execução do serviço.  Ele tem a função de transmitir as decisões estratégicas emanadas pelo Comando, e ser o elo forte deste com a tropa.

Por isso uma formação sólida, abrangente e humana é necessária. O Sargento deve ter a sensibilidade de verificar as necessidades de seus comandados, orientando, auxiliando, tomando a frente durante a execução do serviço, dentro da sua esfera de responsabilidade.

 

Alunos Sargentos em formação - Arquivo ESSgt
Alunos Sargentos em formação – Arquivo ESSgt

 

Sob os Comandos de “Sentido! Cobrir e alinhar”, o pelotão está formado. As bandeiras são hasteadas. Ali não existem apenas policiais dos quatro cantos do Estado, e sim irmãos de farda, uma grande família.

 

ESCOLA SUPERIOR DE SARGENTOS - Arquivo ESSgt
ESCOLA SUPERIOR DE SARGENTOS – Arquivo ESSgt

Requisitos para ingressar no curso

Para ingressar no Curso de Formação de Sargentos, o Policial Militar precisa ser Cabo ou Soldado, sendo que este último precisa ter no mínimo 5 anos de efetivo serviço será preciso:

  • – Estar, no mínimo, no comportamento BOM há 2 anos;
  • – Estar apto na Inspeção de Saúde e no Teste de Aptidão Física;
  • – Possuir ensino médio, Carteira Nacional de Habilitação e estar em efetivo serviço Policial Militar.

O 2º Sargento, para ingressar no Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos que o habilitará a promoção de 1º Sgt PM e posterior Sub Ten PM, precisa estar, no mínimo, no comportamento BOM há 2 anos, além de estar apto na Inspeção de Saúde e no Teste de Aptidão Física.

 

Confira a matéria também na Revista AOPP – clique aqui