AOPP tem compromisso com a qualidade de vida do Associado

AOPP-tem--compromisso-com-a-qualidade-de-vida-do-Associado

AOPP tem compromisso com a qualidade de vida do Associado

Quem não está sujeito aos imprevistos da vida como doenças graves, falta de recursos para bancar tratamentos médicos e manter o lar, e a repentina perda de alguém que amamos? Todos nós, inclusive o policial militar e sua família.

 

Estas preocupações também são da Associação dos Oficiais, Praças e Pensionistas da Polícia Militar do Estado de São Paulo (AOPP) que, desde a sua fundação há quase 10 anos, oferece uma variedade de assistências para os seus sócios como acompanhamento a hospitais, consultas e exames, orientação e acompanhamento das pensionistas no processo de solicitação de pensão, auxílios funeral e natalidade, doação de cesta básica, fraldas, leite, empréstimos de cadeira de rodas, muletas, cama hospitalar, andadores, etc.

 

“A AOPP é dirigida por pessoas que também foram policiais militares e, portanto, sabem muito bem como é a realidade dos nossos associados que precisam de apoio”, disse o Diretor Tesoureiro-Geral da AOPP, Josenei Santos Gonçalves, que também cuida de ações sociais para os associados.

 

Em agosto, ele visitou o associado e 2º Tenente PM da Reserva, Milton Rodrigues Vieira, em Cruzeiro, no Vale do Paraíba. O motivo da visita foi a entrega de fraldas geriátricas para a esposa do oficial, Dona Maria, que é portadora do Mal de Alzheimer, e está acamada.

 

“É bom saber e poder contar com pessoas que estão imbuídas de espírito de ajudar ao próximo”, agradeceu o 2º Tenente. “O policial militar e seus dependentes sempre poderão contar com o nosso Departamento Social, que está sempre atento e disposto a atender as necessidades dos nossos associados”, destacou o Diretor.

 

Em setembro, três cestas básicas e uma muleta canadense foram entregues pela AOPP à dona de casa, Dirce da Silva Soares, e sua filha Lucimara Soares.

 

Lucimara é portadora de deficiência física. Pensionistas e sócias da AOPP desde 2013, elas moram em Piracicaba. Os produtos foram levados pelo Diretor Financeiro e de Ações Sociais da AOPP, Josenei Santos Gonçalves, e o Diretor do Conselho Fiscal, Vitor Fernandes. “Esta ajuda da AOPP é muito bem vinda, e nos dará uma boa economia nos gastos aqui em casa”, comentou Dirce.

 

Ela paga aluguel do imóvel e também cuida de um sobrinho que é portador de necessidade especial. “Estamos satisfeitos com o atendimento oferecido pela AOPP”, agradeceu Lucimara.

 

ACOMPANHAMENTO
O falecimento de um policial militar é uma situação difícil e dolorosa para a sua família. E a AOPP, que conhece a realidade desse profissional da Segurança Pública, sabe o quanto a família precisa de apoio, e já se coloca à disposição para ajudá-la nos procedimentos necessários para dar entrada na pensão junto à São Paulo Previdência (SPPrev).

 

O cônjuge precisa estar informado sobre este processo, e por isso, pode contar com a equipe da AOPP para dar-lhe o suporte necessário para a aquisição do benefício.

 

Para mais informações, os telefones da AOPP são (11) 2312-6996 e (11) 2312-5451.

 

PENSIONISTAS
Com o objetivo de aprimorar ainda mais os serviços prestados aos aposentados e pensionistas, a São Paulo Previdência (SPPREV) desenvolveu um aplicativo para smartphones (celulares com sistema operacional semelhante aos dos computadores).

 

Disponível para download gratuito na Google Play e na App Store, o aplicativo apresenta as funcionalidades de consulta ao demonstrativo de pagamento e ao informe de rendimentos e de alteração de endereço.

 

Além disso, também apresenta notícias sobre as últimas ações da autarquia e sobre demais novidades quanto a gestão e ao pagamento dos benefícios.

 

SAÚDE
O associado da AOPP precisa estar informado sobre a Assistência Médico-Hospitalar e Odontológica (AMHO). Trata-se de um regime próprio, previsto na Lei 452/74, que foi criado especialmente para a família policial militar, norteados pelo mutualismo e pela solidariedade em prol da família policial militar.

Este regime exclusivo, gerido pela Caixa Beneficente da Polícia Militar (CBPM), e prestado pela Cruz Azul conforme o Termo de Colaboração entre as partes, não deve ser confundido com um plano privado de assistência à saúde.

 

“Pois o valor da contribuição é baseado em percentuais do vencimento dos contribuintes, sendo reajustado apenas quando a Corporação tem aumento salarial e não há alteração em razão da quantidade de beneficiários atendidos e nem em função da idade destes (ex.: tendo três ou cinco filhos, o valor da contribuição é o mesmo) ,não sofre aumento de acordo com a inflação da saúde, não têm carência, entre outras peculiaridades deste sistema único”,declarou sua Assessoria de Imprensa.

 

Segundo a CBPM, os dependentes legais dos contribuintes têm direito a diversos serviços de saúde com cobertura integral e parcial. Além disso, os custos dos procedimentos cobertos parcialmente e daqueles que não têm cobertura na AMHO são ressarcidos para a CBPM, por meio de desconto em holerite, considerando a capacidade de pagamento do policial e também o equilíbrio financeiro entre a receita arrecadada pelas contribuições em relação às despesas geradas pelos beneficiários do regime assistencial.

 

A CBPM aproveita para alertar os associados sobre a atuação de advogados que procuram a categoria propondo ações judiciais para saírem da CBPM. “Infelizmente, o potencial de quebra do regime atualmente é enorme, e, caso isso ocorra, milhares de familiares de policiais militares terão como única alternativa o atendimento global do sistema único de saúde, hoje já bastante castigado pelas demandas de outras classes sociais de nosso Estado. Isso provocará, sem dúvida, uma forte crise social para a Polícia Militar e para o governo paulista”, finalizou.

 

Acesse a edição impressa da Revista AOPP.