AOPP e PMs se reúnem com Capez para traçar metas

AOPP e PMs se reúnem com Capez para traçar metas

A iniciativa da CEPM conta, ainda, com o apoio da Associação dos Oficiais, Praças e Pensionistas da Polícia Militar do Estado de São Paulo (AOPP), que também está engajada neste projeto. “Desde o início, a pedido do Tenente Torres, que é nosso associado, a AOPP está dando o suporte necessário, pois vai beneficiar a todos. Aproveito também para agradecer o amigo Capez que, de imediato, abraçou a causa, quis marcar essa reunião e está engajado e preocupado em atingir o objetivo”, destacou o presidente da AOPP, Aristides Florindo de Faria Filho.

 

No encontro, Capez frisou que o resultado final vai depender da sequência que irão dar: “Por isso, precisamos estar organizados para este projeto relacionado às carreiras da Polícia Militar, conversar com deputado por deputado e convencê-los da importância de um projeto para que haja a correção dessa injustiça.”

 

Ele também comentou, que além de precisar ser de iniciativa do Governador, um segundo obstáculo é o aumento de despesa. “Neste sentido, nosso argumento principal será sobre a correção de uma inconstitucionalidade, ou seja, a relação do princípio da proporcionalidade. Vamos tentar corrigir essa injustiça”, explica.

 

Capez disse, ainda, que quer estabelecer um caminho viável. Por isso, vai solicitar um levantamento de todos os projetos relacionados à Polícia Militar que estão na ordem do dia e que já passaram pelas Comissões, e um levantamento dos que ainda estão tramitando nas Comissões. Além disso, quer preparar uma ADIN para tentar, no âmbito judicial, eliminar essa diferença: “Temos duas linhas de atuação: Judicial e Legislativo.”

 

 

Iniciativa

 

O primeiro passo foi dado quando a reivindicação foi entregue diretamente ao secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, no dia 29 de maio, na SSP. Na ocasião, os membros da Comissão, a diretoria da AOPP e o Capez, presentes na reunião, explicaram ao secretário toda a situação, que se dispôs a pedir um estudo de impacto ao Comando Geral da Polícia Militar para posterior análise. “Obtivemos um parecer favorável dele e estamos com esperança de que isso possa se efetivar. Se é justo, se há um apoio da secretaria de Segurança Pública e se é de interesse geral, devemos lutar para que isso se efetive. Não podemos esmorecer. Agora, é trabalhar e aguardar para que isso se transforme em realidade”, destaca Capez.